Arquivo mensal: setembro 2010

Night Walks (2010) – Hidden Orchestra

Padrão

1.Antiphon
2.Footsteps
3.Dust
4.Tired And Awake
5.The Windfall
6.Out Of Nowhere
7.Wandering
8.Stammer
9.Strange
10.Undergrowth

Para quem curte um som bem viajado, taí a Hidden Orchestra. À primeira vista, me lembra um pouco de Tortoise, Fóssil. É uma misturera de música clássica, jazz, rock, hip hop, música eletrônica; é aquele tipo de som que contém muita informação, de ouvir com calma. São duas bateras, violino, baixo, sintetizadores e as vezes aparece umas flautas também. Os ouvidos, novamente, agradecem!

Download: Clique Aqui

Anúncios

The In Sound From Way Out (1996) – Beastie Boys

Padrão

1.Groove Holmes
2.Sabrosa
3.Namaste
4.Pow
5.Son Of Neckbone
6.In 3’s
7.Eugene’s Lament
8.Bobo On The Corner
9.Shambala
10.Lighten Up
11.Ricky’s Theme
12.Transitions
13.Drinkin’ Wine

Gravado em 1996, The In Sound From Way Out é o primeiro álbum instrumental do Beastie Boys. São 13 faixas que misturam Funk, AcidJazz, Soul e muito groove. É bem comum ouvirmos músicas deste álbum como trilha sonora em programas de esporte, na ESPN, na Band, etc. Vale muito a pena conferir!

Download: Clique Aqui

 O  segundo álbum instrumental do Beastie Boys, The Mix Up lançado em 2007 e já postado aqui, teve seu link para download atualizado.

Time Out (1959) – The Dave Brubeck Quartet

Padrão

1.Blue Rondo a la Turk
2.Strange Meadow Lark
3.Take Five
4.Three to Get Ready
5.Kathy’s Waltz
6.Everybody’s Jumpin’
7.Pick Up Sticks

Time Out dispensa comentários, sem dúvida nenhuma um clássico do jazz. Os ouvidos agradecem, e muito!
Dave Brubeck – Piano
Paul Desmond – Saxofone
Eugene Wright – Contrabaixo
Joe Morello – Bateria

Download: Clique aqui

EZTÉTYKA DO SONHO

Padrão

O sonho é o único direito que não se pode proibir.
O sentimento de colaboração humana renova e revela uma nova categoria de indivíduo, mas é necessário para isso que a velha cultura seja revolucionada.
Nenhuma estatística pode informar a dimensão da pobreza. A pobreza é a carga autodestrutiva máxima de cada homem.
Na medida que a desrazão planeja a revolução, a razão planeja a repressão.
A revolução é a anti-razão que comunica as tensões e rebeliões do mais irracional de todos os fenômenos que é a pobreza.
A revolução, como possessão do homem que lança sua vida rumo a uma idéia, é o mais alto astral do misticismo.
As revoluções se fazem na imprevisibilidade da prática histórica que é a cabala do encontro das forças irracionais das massas pobres.
A revolução é uma mágica porque é o imprevisto dentro da razão dominadora.
A cultura popular será sempre uma manifestação relativa quando apenas inspiradora de uma arte criada por artistas ainda sufocados pela razão burguesa.
A cultura popular não é o que se chama tecnicamente de folclore, mas a linguagem popular de permanente rebelião histórica.
O Povo é o mito da burguesia.

(Glauber Rocha)