Arquivo mensal: junho 2012

Jacuípe Sessions (2008) – Rockers Control

Padrão

1. Soltinho
2. Do Alabama ao Atacama
3. Dança das Abelhas
4. Jatiman
5. Minduca
6. Durango Kid
7. 36 Léguas
8. 46 do Segundo Tempo
9. Coaxo do Sapo
10. Heavy Bass
11. Ginguba

Mais uma vez o dub esfumaçandoo ambiente virtual e instrumental. A vibe jamaicana dessa vez,  fica por conta do Rockers Control, banda paulistana que explora as “good vibes” do reggae e do dub em suas composições. Jacuípe Sessions, primeiro e até agora único álbum do grupo, foi lançado em 2008 e recebeu esse nome em homenagem ao local onde foi gravado: Jacuípe é uma cidade no litoral baiano, onde se encontra a pousada/estúdio “Coaxo do Sapo”, onde foi concebido as tais sessões.

O disco dá a impressão de ter sido gravado sem pressa, explorando o timing do dub, deixando um clima de paz e tranquilidade no ar. O Rockers Control é uma das bandas que acompanha os eventos organizados pelo coletivo Dubversão Sistema de Som, responsável por preencher com grave as ruas paulistanas. Além do Rockers Control, os integrantes também tocam ou acompanham outras bandas e músicos da cena paulistana.
Ouça a pedra!!

Anúncios

Montreux Jazz Festival (1979) – Hermeto Pascoal

Padrão

1.Pintando o Sete
2.Forró em Santo André
3.Remelexo
4.Bem Vinda
5.Sax e Aplausos
6.Lagoa da Canoa
7.Fátima
8.Terra Verde
9.Maturi
10.Quebrando Tudo
11.Nilza
12.Forró Brasil
13.Montreux
14.Voltando ao Palco
15.E Adeus

Pela segunda vez no blog, o som de um dos gênios da música brasileira, o alagoano Hermeto Pascoal. Dessa vez, o registro da apresentação no Montreux Jazz Festival em 1979. Som de primeiríssima qualidade, só clicar e ouvir!

 

Macka Fat (1972) – Jack Mitto

Padrão

1. Henry The Great
2. Good Feeling
3. Mack Fat
4. Lazy Bones
5. Fancy Pants
6. Something Else
7. Happy People
8. Purple Hearth
9. Whoa Whoa
10. Division One
11. Ghetto Organ
12. Dad Is Home

Jack Mitto é um tecladista nascido na Jamaica no ínicio dos anos 50 e Mack Fat é o quarto disco de estúdio da sua carreira. Mitto é responsável por criar alguns dos riddins (acompanhamentos instrumentais de reggae) mais conhecidos e remixados pelos vários sound system’s espalhados pelo mundo. Também fez parte de uma das bandas mais importantes do reggae mundial, o The Slatalites.

O reggae instrumental pesado que comanda Macka Fat,  é o que “evoluiu” do rock e do soul nos anos 60, e que foi popularizado principalmente por Bob Marley. Mesmo sendo um álbum de um tecladista, percebe-se o quão coletivo é a pepita, devido aos instrumentos estarem numa mesma projeção e proporção, apenas deixando soar o levíssimo e esfumaçado som da ilha mais “legal” do planeta.
Ouça!!

Para Perdedores (2011) – Areia e Grupo de Música Aberta

Padrão

1.Do início ao fim de tudo
2.Maracatu de baque etéreo
3.Ciranda de três
4.A joia do universo

Mais um belo disco da música instrumental brasileira. Areia, baixista da banda Mundo Livre SA. e diretor musical deste projeto, juntamente com o Grupo de Música Aberta, composto pelo saxofonista e maestro Ivan do Espírito Santo (Orquestra Contemporânea de Olinda), o acordeonista Júlio César (Arabiando) e o baterista Cássio Cunha (Alceu Valença e Duna), gravaram em uma só noite e com todos tocando juntos esses quatro temas, inspirados na poesia popular do Nordeste e na improvisação cíclica e de mote dos cantadores nordestino. Segundo Areia, o novo álbum é também “uma homenagem aos que andam na contramão da sociedade competitiva e entendem que a verdadeira vitória não está em conquistar tudo, pura e simplesmente, destruindo o planeta e as relações humanas no processo”. O que explica o nome Para perdedores. Os nossos ouvidos agradecem, só clicar e ouvir!

!Que No Me Chingues Wey!_EP (2012) – Huey

Padrão

1. Sol em Silêncio
2. Schonburg Hell 47
3. Ibiúna
4. T-shirt

Pra reforçar que nova música instrumental brasileira está muito consistente e com uma linguagem totalmente nova, agregando ritmos e influências distintas e deixando-a mais próxima do público, o Huey, banda instrumental paulistana, representa muito bem esse momento, pois traz como centro da sua música o metal – genêro do rock acostumado a grandes berros e frontman’s que cospem sangue e fogo e se caracterizam pela voz estridente e pesada. só que desconstruído e sem perder sua gênese.

No metal tocado pelo Huey, a voz dá lugar as guitarras e aos diálogos pesados entre elas, deixando um dos genêros mais fiéis do rock, com uma cara mais amistosa. !Que No Me Chingues Wey! é o primeiro EP da banda, lançado em 2010 (mesmo ano em que estrearam nos palcos) e foi disponibilizado pra download pela próprios em seu site. O Huey é formado por: Rato (bateria), Dane El (guitarra), Vina (guitarra), Minoru (guitarra) e Velozzo (baixo).
Ouça!!

As Margens do Rio Doce (2012) – Ska Maria Pastora

Padrão

1.Fanfarra Dominicana
2.As Margens do Rio Doce
3.Cabelo de Fogo
4.Skarnaval
5.Bolero do Velho Oeste
6.O destino de Fidel
7.Jardel
8.Elefante de Olinda
9.Uma Night no Iraque
10.Fim de Tarde no Nóbilis
11.O Regresso de Oroska

Das férteis terras de Pernambuco nasceu mais este belo álbum – As Margens do Rio Doce – recém lançado pela turma do Ska Maria Pastora. A banda foi formada em 2008, e como eles próprios disseram, fazem parte de um projeto “idealizado por amigos que tem em comum o gosto pelo ska, reggae e naturalmente o frevo”. E o disco é resultado dessa mistura de rica de ritmos e influências, da música brasileira e música jamaicana. E além do som de alta qualidade, a arte do disco também merece destaque. E o conjunto todo está disponível para download no site da banda. Só clicar aqui e conferir!