Arquivo da categoria: Psychedelic

Tudo Veio do Nada (2011) – Chimpanzé Clube Trio

Padrão

1. Curta a Paisagem
2. Raios e Trovões
3. Tem Dia Que a Noite É Foda
4. Na Rua Até Essa Hora?
5. Te Encontro na Praça da República
6. Cosmic Feelings I
7. O Vale dos Semi-Vivos
8. Nos Tempos da Montown
9. Cosmic Feelings II

O nome do terceiro álbum dos paulistanos do Chimpanzé Clube Trio já avisa o que estaremos prestes a ouvir ao dar o play. São sessões de improviso, gravadas ao vivo no Bar B em São Paulo ano passado. “Sem pós-produção, overdubs ou ensaio”, é o disco de uma banda em sua essência, tocando livre das composições ou arranjos pré – determinados, levando o estúdio até ela e não o contrário, como normalemente acontece.

O som do “Chimpa” é genuinamente rock, voltando mais para a estética setentista. O power trio formado por Luiz Miranda (guitarra e baixo), Felipe Crocco (baixo e guitarra) e Angelo “Turco” Kannan (bateria), explora a psicodelia do rock, fazendo-o dialogar com o soul e o funk. O “Chimpa” está “nos finalmente” da produção do seu quarto disco. Em breve estará no ar e com certeza nas páginas deste humilde blog.
Tudo Veio do Nada foi disponibilizado pela própria banda para download.
Baixe-o!!

Baptista Virou Máquina (2011) – Burro Morto

Padrão

1. O Céu Acima do Porto
2. Transistor Riddim
3. Tocandira
4. Baptista, o Maquinista
5. Volks Velho
6. Foda do Futuro
7. Kalakuta
8. Cataclisma
9. Volte Amor
10. Luz Vermelha

Baptista Virou Máquina é o nome do primeiro disco cheio da banda de música instrumental paraibana Burro Morto. Em 2009 eles lançaram o EP Varadouro (postado por aqui também) e ano passado, através do Prêmio Pixinguinha gravaram esse belo registro. É notável no álbum o amadurecimento das idéias que estavam que estavam no trabalho anterior, lapidando o funk, dub, afrobeat e o rock psicodélico pertencentes à sua música.

O trabalho foi construído em cima do conceito de um habitante da moderna vida industrial, trabalhando musicalmente o cotidiano do tal “Baptista” e transformando o mesmo em um filme, que saiu junto com o disco em formato de DVD. O disco foi gravado e produzido ao longo do ano de 2009 no próprio estúdio dos caras, em João Pessoas, e teve a ilustríssima participação do guitarrista Fernando Catatau.
Baixe essa pedra!!

Kaoll 04 (2008) – Kaoll

Padrão

1. Khan e Kalili
2. Topázio
3. Aquilo com Aquiloutro
4. Horizontes
5. Flutuante
6. Tema pra Lanny
7. Espamos
8. Psicopatias Agudas
9. Na Praça
10. Horizontes (ao vivo vom Lanny Gordin)

Mais uma banda importante da música instrumental brasileira por aqui. Trata-se do Kaoll, projeto encabeçado pelo guitarrista Bruno Moscatiello e criado em meados de 2008 na cidade de São Paulo. Kaool 04 é o primeiro disco do grupo, lançado de maneira independente e disponibilizado pra download pelos próprios no site do grupo. O Kaoll também tem outros projetos. Um disco, denomidado Auto Hipnose, lançado em 2010 junto com o lendário guitarrista Lanny Gordin e outro de releituras do Pink Floyd.

O disco lançado em 2008, é uma mistura de rock progressivo e psicodélico com várias experimentações que lembram o “Floyd” do início de carreira, e também músicas brasileiras com alguns arranjos e melodias na linha do samba e da canção. Algumas ideías desenvolvidas posteriormente com Lanny Gordin estão nesse primeiro registro. Umas das músicas chama-se Tema para Lanny e a última do disco, é uma gravação ao vivo com o próprio guitarrista.
Ouçam!!

Tezeta (2010) – Woima Collective

Padrão

1.Marz
2.Credo
3.Woima
4.Gaaf
5.Puno
6.No Way But Still Walking
7.Cavemans Revenge
8.Wayna
9.The Cave
10.Gidama
11.Illusions
12.Wilder Mann

Após viajar pelo Marrocos, o alemão Johannes Schleiermacher, sax tenor do The Poets Of Rhythm, voltou com inúmeras ideias na cabeça. Reza a lenda que ele voltou desta viagem com vários discos e longas conversas com Mulatu Astatke na bagagem. Depois disso, ele juntou alguns amigos que também apreciam a música africana e formou a banda Woima Collective, nome inspirado em um ritmo tribal da Guiné. “Tezeta” é o resultado desta viagem, som finíssimo! Só clicar e deliciar-se!

Em Busca da Verdade (2006) – Mamma Cadela

Padrão

1. Lição Marítima n1
2. Papa Passarinho
3.  Meus Eletrodomésticos
4. Abraço dos Militares
5.  Dentadura de Robô
6. Lapin Noir
7.  Da Espanha pro Brasil
8. Natu Nobilis
9.  Jantar com Kubrick
10. A Suiça me Deixou Sem Suingue
11. Bohemia Sem Calcinha

Primeiro disco dos paulistanos do Mamma Cadela, Em Busca da Verdade é um dos grandes álbuns da música instrumental contemporânea feita no Brasil. Lançado em 2006, é uma grande miscelânia de ritmos universais. A grande busca, a tal “verdade”, é a mistura que eles fazem na sua música; é como se o Pink Floyd sessentista tivesse caminhado pela música brasileira, levado pelos acordes da guitarra de Fernando Coelho, e arriscando também algumas interpretações precisas do cancioneiro popular brasileiro, contidas nos samples muito bem escolhidos por pelos riscos de Ismael Lima.

Outras referências presentes no disco e na produção do Mamma, são o jazz, sendo ditados pelas harmonias e melodias dos teclados de Fábio Pinc e no baixo de Vanílson Rodriguez, e levadas de trip hop que saem das baquetas ousadas de Ladislau Karlos. Os integrantes fazem parte de outros projetos como Seychelles e o tecladista Fábio Pinc, produziu os próprio e a banda paulistana Ludov. Em todo esse caldeirão sonoro de referências e influências, muitas vezes, ao ouvir o disco, temos a sensação de estar frente à uma grande tela e ver um filme sinestésico e lisérgico.

O disco está disponibilizado pra download no próprio site da banda.
Embarquemos na película e busquemos o que o Mamma Cadela procura…

Tabla Rock (2011) – Shawn Lee’s Incredible Tabla Band

Padrão

.Let There Be Drums
2.Apache
3.Bongolia
4.Last Bongo in Belgium
5.Dueling Bongos
6.Inna Gadda Da Vida
7.Raunchy ’73
8.Bongo Rock ’73
9.Sing Sing Sing
10.Pipeline

Em maio do ano passado o  produtor e multiinstrumentista Shawn Lee lançou sua versão de “Apache“, um dos breaks de bateria mais sampleados da história,  originalmente dos Incredible Bong Band Nessa sua versão, alguns metais foram substituídos per cítara e, na percussão a tabla vira o batuque principal, dando aquele clima oriental pro som. Acabou gostando tando da história que resolveu refazer o disco inteiro. O som ficou fino! O disco estava programado para ser lançado em janeiro de 2012 mas em setembro de 2011 já estava na rede. Os ouvidos agradecem. Ouça!

Bongo Rock (1973) – Incredible Bongo Band

Padrão

1.Let There Be Drums
2.Apache
3.Bongolia
4.Last Bongo in Belgium
5.Dueling Bongos
6.In-A-Gadda-Da-Vida
7.Raunchy ’73
8.Bongo Rock ’73

Incredible Bongo Band foi um projeto iniciado em 1972 por Michael Viner (executivo da MGM Records) e que chegou a lançar dois álbuns. O que temos aqui é o primeiro, “Bongo Rock” de 1973, grooves pesados, psicodelia, som de primeira! O disco não fez muito sucesso na época do lançamento, mantendo-se na obscuridade até o fim dos anos 70, quando pioneiros do hip hop como os Dj’s Kool Herc e Grand Master Flash samplearam a música Apache. A partir daí, essa música simplesmente se tornou uma das mais sampleadas do mundo inteiro e o disco começou a fazer sucesso. Som de primeira qualidade! Confira!