A Divina Increnca (1980) – A Divina Increnca

Padrão

1. Cheguei, Lá e Tal…
2. Canção Pra Ela
Balão
3. Friii-tz
4. Ainda Bem Que Não Flalta Fauta
5. Frevo do Cheiro (Nois Sofre + Nois Goza)
6. A Lira e a Gira
7. Ufa!
8. Conforme o Dia (Filomena)

“A Divina Increnca”,  primeiro e único disco do grupo de mesmo nome é uma álbum com essência jazz. Porém, é um jazz diferente do habitual. O encontro (meio casual) de Félix Wagner, Rodolfo Stroeter e  Azael Rodrigues  deu luz à uma música distinta.  Os 3 fizeram da tal Divina Increnca um conceito criado em cima do concretismo dos irmãos Haroldo e Augusto de Campos.

Querendo de todas as formas sair do comum, do habitual, o grupo nasce anárquico e punk, em conceito e musicalidade. Na primeira faixa (Cheguei Lá e Tal…) percebe-se um disco de jazz, mas com o passar dos minutos nota-se que a intenção do grupo é outra. É a não-intenção. Percebemos nas músicas um tanto de Hermeto Paschoal, John Cage, Egberto Gismonti, John Coltrane e várias experimentações futuristas dos instrumentistas: jazz brasileiro de extrema qualidade.

O disco foi gravado ao vivo na sala “Guiomar Novaes” na FUNARTE, em São Paulo, devido ao piano que a sala possuia. O único overdub posto – palmas em uma das faixas – foi gravado no estúdio JV, onde Azael e Rodolfo trabalhavam.
Delicie-se com as viagens….

Anúncios

»

  1. Pingback: Retrospectiva 2012 « Boca Fechada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s